Pages

 

domingo, 17 de janeiro de 2016

Como funciona o protetor solar?

0 comentários
Apesar do Brasil ser um país tropical onde o sol aparece quase todos os dias, 60% da população sofre de insuficiência de Vitamina D, baixos níveis dessa substância pode provocar doenças como diabetes, hipertensão, câncer, problemas neurológicos (depressão, bipolaridade, esquizofrenia) e imunológicos, além, de esclerose múltipla e lúpus. O baixo nível da Vitamina D também compromete a absorção do cálcio pelo organismo, e isto afeta diretamente a saúde dos ossos. Quanto as grávidas, a insuficiência do composto favorece nascimento de crianças portadoras do autismo. 

A maior fonte de Vitamina D é o sol, porém, algumas vezes é necessário ingerir a substância, que pode ser adquirida em farmácias. O tempo de exposição ao sol para suprir a quantidade necessária desta vitamina depende da tonalidade de pele da pessoa, quanto mais clara menor o tempo, e quanto mais escura maior o tempo. O tempo de exposição também varia de acordo com o horário em que ocorre a exposição, da sua localização geográfica e da estação do ano. Porém, independente destes fatores é recomendável que todas as pessoas se exponham ao sol de 15 a 20 minutos todos os dias, sem o uso de protetor solar, pois, o protetor inibe a absorção do componente, após esse período de exposição, o uso do filtro solar é indispensável.

Especialistas afirmam que o melhor horário para se absorver a vitamina D solar é das 10 as 16 horas, justamente o horário em que os dermatologistas orientam para que evitemos a exposição ao sol. Nas regiões sul, sudeste e centro-oeste do Brasil o sol é menos danoso neste horário quando comparado as regiões norte e nordeste que estão mais próximos da linha do equador.

Os raios solares possuem radiação do tipo UVA, UVB e ultravioleta.

Os raios UVA, possuem radiação de média intensidade, atingem uma camada mais profunda da pele e são responsáveis pelo bronzeamento, surgimento de manchas, rugas. Ele não é totalmente bloqueado pelo protetor solar.

Os raios UVB atingem uma camada mais superior da pele, são radiação de alta intensidade e são mais abundantes das 10 as 16 horas, esse tipo radiação é útil na absorção da vitamina D pelo organismo, mas eles são responsáveis também pela vermelhidão e dores provocadas pela queimadura do sol, também aumenta o risco de câncer de pele.

Os raios infravermelhos são responsáveis pelo aquecimento, por isso você sente um grande calor quando entra num carro deixado no sol, é uma radiação de baixa intensidade, que é responsável pelo envelhecimento da pele.

Os protetores solares formam uma barreira física que refletem a radiação solar e impedem que ela atinja a pele. Os protetores solares são classificados em FPS (Fator de Proteção Solar), se o FPS do seu protetor solar for 30, isto significa que ele te protege por 30 vezes mais o tempo que você levaria para se brozear (ficar vemelho), ou seja, se sem protetor solar você fica vermelho em 10 minutos, então, o protetor te protegerá por 300 minutos, ou seja, você estará protegido por 5 horas, exatamente o período de tempo em que a radiação é mais crítica.

Por isso, talvez não compense pagar mais por protetores solares de maiores FPS, antes das 10 e após as 15 horas a radiação solar é menos intensa e menos danosa a pele.

Lembrando que o protetor solar é uma barreira física, podendo ser necessária a reaplicação do produto após um tempo dentro da água.

Aliás, se para o ser humano o protetor solar só trás benefícios, para os recifes de corais não podemos dizer o mesmo, todos os anos cerca de 14 mil toneladas de protetor solar atingem os corais, e isso é  muito ruim, pois, pode causar danos ambientais irreparáveis, pois, cerca de 25% dos peixes dos mares vivem nestes corais. 

0 comentários:

Postar um comentário

Seguidores