Pages

 

quarta-feira, 1 de março de 2017

3. Interações moleculares e compressibilidade dos gases

0 comentários
Se por um lado as moléculas dos gases ideais em condições de baixa pressão mantém uma grande distância umas das outras, a ponto das interações moleculares serem desprezíveis, em condições de alta pressão essa condição começa a mudar para os gases reais, pois, com pressão maior ocorre a diminuição do volume, portanto, o espaço entre as moléculas também diminui,  com uma maior aproximação das molécula a interação entre elas começa a ser significativa, conforme ilustra a figura a seguir.



Mesmo em altas pressões, quanto maior a temperatura, maior será a energia cinética dos gases, ou seja, as moléculas se movimentam com maior velocidade, com isso, a força de interação molecular tende a ser menos efetiva que a velocidade do movimento, isto faz com que um gás real se aproxime da condição do gás ideal.

Se o espaço entre as moléculas é grande ocorre pouca interação entre elas, numa distância intermediária predomina as forças atrativas e em distâncias pequenas predomina as forças de repulsão.

Em baixas pressões as interações são desprezíveis, em pressões intermediárias as forças de atração e repulsão competem entre si e em altas pressões predominam as forças repulsivas.


O fator de compressibilidade de um gás é um parâmetro que fornece uma medida do desvio da idealidade, ele demonstra o volume real que o gás ocupa comparado com o volume que o gás ideal ocuparia nas mesmas condições. O fator de compressibilidade de um gás ideal é sempre igual a 1, portanto, quanto mais próximo de 1, mais próximo da idealidade e quando diferente de 1, a equação dos gases ideais não explica o comportamento do gás. O fator de compressibilidade pode ser determinado através da equação a  seguir:

Z =   Vm   
        Vmideal






0 comentários:

Postar um comentário

Seguidores