Pages

 

sábado, 21 de outubro de 2017

O fixador de perfume não existe

0 comentários
Apesar de muita gente acreditar que existe um produto químico ou natural que atue como fixador em perfumes, o fixador não existe, ele é um mito da perfumaria.
O que determina o tempo de fixação dos perfumes são basicamente duas coisas coisas: qualidade da essência e quantidade de essência. Por esse motivo os EDP (Eau de Parfum) fixam mais que os EDT (Eau de Toilette), que por sua vez fixam mais que as colônias.
Apesar da perfumaria ser um ramo da ciência química, eu costumo classificá-la como arte, pois, diferente de outros ramos da química que são regidos pela analise técnica e a razão, o químico perfumista tem a liberdade levar em consideração sua sensibilidade, intuição, criatividade e emoções em seus desenvolvimentos.
A pirâmide olfativa, que nos permite avaliar como se desenvolve o cheiro de um perfume desde sua aplicação até sua finalização, também é considerada durante o processo de criação de um perfume.
Ao fazer a mistura de compostos aromáticos o perfumista tenta criar uma fragrância única que proporcione experiência impar do usuário com o aroma, ao mesmo tempo ele se preocupa para que o cheiro seja o mais duradouro possível, por isso, ele sempre está atento aos ingredientes que são percebidos no que chamamos de notas de fundo ou de coração na pirâmide olfativa.
O âmbar, uma matéria-prima oleosa utilizada na fabricação de perfumes, muitas vezes ele é classificado como fixador, isto é incorreto, pois, o âmbar é apenas um acorde olfativo que está a disposição do perfumista no momento da criação, sua seleção se dá principalmente pela nota olfativa, lógico que sua utilização permite inferir que o perfume durará mais e isto pode ser feito de forma intencional, afinal, os sabemos que óleos são menos voláteis. Mas o âmbar não pode ser jamais chamado de fixador, pois, ele não retarda o tempo de volatilização dos demais ingredientes olfativos presentes no perfume. Por exemplo, numa fragrância cítrica ambarada, as notas cítricas logo se perdem, o que se percebe por mais tempo na nota de fundo não são as notas cítricas, mas apenas âmbar, então, o âmbar não contribui para o aumento da duração da nota cítrica.   

Através da família olfativa a que pertence um perfume somos capazes de deduzir se ele será duradouro ou não, o gráfico que ilustra esta publicação correlaciona o tempo de volatização (duração) com as respectivas famílias olfativas.
Se compararmos no gráfico um perfume cítrico como o 212 Men e um especiado como o One Million, saberemos de antemão que o One Million terá maior durabilidade, pois, moléculas especiadas são menos voláteis que moléculas cítricas.
Então, podemos afirmar que o Ferrari Black não tem problema de fixação, pois, sua curta vida é resultante das matérias-primas utilizadas que o posiciona na família olfativa cítrica, que tem a menor duração dentre todas as famílias olfativas.
Então, o que faz com que o perfume o Apolo, o contratipo do Ferrari Black da Thera Cosméticos dure mais que o próprio perfume importado que serviu de inspiração?


O perfume importado é um EDT, enquanto que na Thera fazemos apenas perfumes do tipo EDP, ou seja, além de usarmos uma essência de alta qualidade, também trabalhamos com uma dosagem maior que a do perfume importado utilizado como inspiração, com isso, conseguimos aumentar a duração da percepção da fragrância.
Read more...

Seguidores